Há preconceito com pessoas gordas?

Uma mulher gorda é mais criticada que um homem? Talvez eu deveria falar acima do peso em vez de gorda?

Controle ou descontrole do peso é um assunto que está nas conversas de mulheres de todas as idades. Aliás some-se a esse: dieta, treino, cirurgia plástica, carboidrato, etc. Basicamente é isso que conversamos. Por que falamos tanto disso? Eu estou de saco cheio. Virei uma chata. Ainda bem que não sou vegana… ainda.

Acredito que a sociedade cobra muito da mulher. O homem cobra e também a própria mulher. Ela tem que estar sempre linda, em forma e disposta. O homem é mais visual, por isso ela tem que estar atraente. Desculpe aí quem inventou essa bobagem. Eu sou visual. Se meu marido resolver relaxar, não vai dar certo. Até posso aceitar cabelos brancos, mas barriga?

O que não consigo medir é o limite de parar com a obsessão.

Eu ainda estava de férias e me permiti assistir a um episódio do House, Let them eat cake. House e sua equipe tentam entender por que uma treinadora física está se quebrando toda, tendo vômitos e febre. A mulher treina um grupo de obesos e é obcecada por atividade física,  tanto que correu com o tornozelo fraturado. Mais tarde, o Dr. Chris Taub, cirurgião plástico da equipe,  descobre que ela era obesa e fez redução. O que para ele é uma grande hipocrisia. Infelizmente, House não está conseguindo encontrar um diagnóstico e a paciente está piorando a ponto de todos acharem que ela vai morrer. Então, ela faz um último pedido a Taub: um pedaço de bolo de chocolate. E foi isso que a salvou. A doença que ela tem é Coproporfiria hereditária.

A fala do House não poderia ser melhor ao entrar no quarto dela com um enorme bolo de chocolate: – Seu rosto é geneticamente abençoado. Sua química corporal é um pouco menos. Não reproduz o bastante de uma certa enzima que nem consigo pronunciar, mas é importante para o fígado e tudo mais. O tratamento é uma dieta com carboidratos rica em açúcar. Quando era gorda se automedicava.

Em seguida, House oferece dois caminhos para ela. Tomar remédios e ser internada outras vezes ou comer carboidratos. Ela optou pela aparência. Que decisão você tomaria no lugar dela?

Sexismo?

Não sou sexista, mas ainda acho que a mulher tem muita desvantagem. O médico britânico Ian Campbell, da Weight Concern, explica que é uma questão de constituição corporal, não de sexo. Basta ter mais músculos! Aí, seu metabolismo fica mais acelerado. Mulher, cadê seu tempo? Já pra academia pegar ferro.

Ainda segundo esse médico, homens fracotes têm metabolismo lento, logo podem ficar acima do peso. Só que meninas têm estrogênio e meninos têm testosterona. A porcaria do estrogênio trabalha contra. Adora aumentar o peso ou até impedir sua perda. Já amada testosterona ajuda o aumento da massa muscular. Sacanagem!

Como diz meu marido, no final tudo se resume à matemática. Se X = comida e Y = atividade física. X tem que ser sempre menor que Y. Estar obeso é ter a quantidade de gordura ingerida muito superior a gordura queimada!

Não concordo com a obsessão.  Seja para mais ou para menos. Não acho possível uma pessoa com sobrepeso estar feliz, porque significa que ela tem algum tipo de desordem, seja ela física, psicológica ou social. Já uma pessoa que está do outro lado também corre riscos seríssimos, mas vou falar sobre anorexia e bulimia em outro momento.

Agora se você quer dar uma verificada no seu índice de massa corporal (IMC) te dou uma ajuda:

Coragem, mulher. As contas nem são tão difíceis assim! Com o seu resultado na mão, veja como você está abaixo:

O importante é levar uma vida leve e feliz. Estar de bem, equilibrada. Não sei qual é o padrão. Sigo o meu.  Tenho amigas lindas e maravilhosas. Cada uma do seu jeito.

 

Denise Capece para Mulher Tempo

Referências: Superinteressante, 31/10/16, http://obesidade.org/causas-da-obesidade/http://www.minhavida.com.br/saude/temas/obesidade