Filho é mestre em nos fazer passar por saia justa. Isso porque eles são produtores naturais de mico. A mulher deve estar preparada para passar por essas situações quando decidir ter filhos. É que faz parte do pacote…

Tenho três filhos, minha lista de saia justa x ambientes diferentes é muito grande e daria para escrever um monte. Porém, como hoje se comemora o Dia do Circo, selecionei um vexame que passei lá!

Circo é um palco de luzes, cores e emoção. Tudo dentro do circo é um show. Sempre preferi os acrobatas, seguido dos animais. Na minha inocência, eram apenas bichinhos muito obedientes e fofinhos. Nunca pensei no que eles passavam para chegar a esse ponto. Nem que estavam tão confinados.

Já meu horror sempre foi aos palhaços. Para mim eles são bizarros demais. Por que um pé tão grande? Por que o nariz tem que ser vermelho? Não os acho engraçados e tenho medo do palhaço dos Simpsons, o Krusty.

Entendo que depois da chegada do Cirque du Soleil mudou bastante esse mercado. Não se vê mais circos como antes. Entretanto, para quem mora longe das capitais, ainda é possível visitar os velhos circos. Claro que não pode ser muito exigente, para isso é imprescindível que seu filho seja pequeno e viva na fantasia.

Mulher em pânico

Certa vez levei um deles ao circo. Ele tinha uns três anos. Era um circo bem simplinho e o show começou com chimpanzés. Que coisa linda! Meu filho ficou encantado com tudo que eles faziam. Estavam todos de macacão (kkkk sem querer) vermelho e camiseta listrada por baixo. Eles fingiam que liam jornais, bebiam na xícara, usavam óculos. Enfim, acredito que o mais incrível seja mesmo a semelhança com os humanos. Segundo o biólogo Morris Goodman, de Detroit (USA), eles compartilham 99,4% do nosso DNA.

Depois de várias apresentações, houve um intervalo. No caminho de volta para a nossa cadeira, demos de cara com um profissional do circo que não gostou do meu filho. Era um anão. Ele usava costeletas compridas, tinha barba cerrada e trajava uma calça vermelha. Meu filho parou de andar e ficou olhando, encarando. Eu puxava a mãozinha dele, mas ele estava imóvel. Apenas processando a imagem. Você consegue imaginar a encrenca que eu estava me metendo? Aí veio a bomba, ou melhor, a pergunta:

“Ele é macaco”?

A cara que o anão fez foi muito feia e, cá entre nós, que sujeito mais mal-humorado! Caramba, trabalha em circo, lugar cheio de crianças e não percebe que isso pode acontecer?

Sério. Achei que fosse apanhar. Peguei meu filho no colo e saí correndo. Foi a conta. Nunca mais fui a um circo.

Se você tem alguma saia justa para compartilhar, comenta aí embaixo.

Ah, em meio às minhas pesquisas encontrei um site sobre proteção aos primatas. Não deixe de conferir. É um trabalho muito bonito.

http://www.projetogap.org.br/primate/os-cinco-grandes-primatas/

Denise Capece para Mulher Tempo