Afinal, como faço para saber quando alguém está contando uma mentira?

A mentira é nossa companheira desde sempre. Ela existe, é real e necessária, maasss temos que tomar muito cuidado, pois seu excesso pode virar patológico.

As crianças são mentirosas de mão cheia. Contar mentira é uma coisa comum que elas fazem para evitar o castigo, a vergonha, mas acima de tudo ela está relacionada com o medo. Medo de apanhar, medo de ser descoberto, medo do fracasso e por aí vai.

Meu segundo filho é o mais criativo de todos. Ele sempre adorou contar histórias, pena que nem sempre elas aconteciam.

Por volta dos sete anos ele me pediu para passar a tarde na casa de um amigo – coisa supernatural. Deixei e quando fui buscá-lo, descobri que era a avó do menino que tinha ficado com eles. Ela disse que meu filho era uma graça, super educado, que ele deveria voltar sempre. Ou seja, o mesmo blá blá blá que ouço – graças a Deus – quando um filho vai na casa de um amigo. Só que aquela senhorinha não parava de elogiar e comecei a achar estranho. Ela acabou me dando uma deixa quando disse que ele tinha uma cultura e tanto para uma criança de sua idade.

Nessa hora, sentei, respirei fundo e perguntei por que ela achava isso. Então ela me disse que ele contou como foi a viagem dele para a China.

O QUÊ????

Eu preciso entender por que as avós acreditam em

tudo o que dizem para elas.

Respirei mais fundo e com muito cuidado para ela não perder toda a admiração pelo meu filho, expliquei que ele nunca tinha viajado para fora e que isso era uma pequenina invenção dele. Provavelmente para ela se orgulhar …

Então ela piorou a história e disse, já meio magoadinha:

– “Mas ele falou que foi para o aeroporto de São Paulo, viajou a noite toda em um avião e-nor-me até chegar na Alemanha. Depois de umas horas, pegou um outro avião bem grandão e voou até a China”.

Eu falei que a descrição estava certa, só que o protagonista estava errado, pois era o pai dele que tinha viajado.

Dicas para pegar mentiras

Estudiosos afirmam que contamos mais mentiras para quem não conhecemos. Entretanto, também mentimos para conhecidos (pai, mãe, avó, tia, professora…). Para esses casos, seguem dicas infalíveis que levantei em diversos sites, especialmente do post do Eduardo Santorini www.atitude.com, pois são baseadas nas técnicas do FBI!

Dica #1- O quê?

Você faz uma pergunta, tem certeza que a pessoa ouviu, mas ela pergunta: O quê? Esse é o primeiro sinal de que ela está tentando organizar uma resposta. É o que se chama de tempo para o cérebro.

Dica #2 – Desviar o olhar

A pessoa desvia o olhar pela vergonha de ser pega na mentira. Ela não é tão cara de pau assim. Por outro lado, há pessoas que fazem justamente o contrário quando estão mentindo: fixam muito forte o olhar – mais do que o normal, arregalam os olhos. Esse é o grupo dos caras de pau, que minha filhinha querida está incluída.

Dica #3 – Gestos inconscientes

A mentira que contamos é consciente. O nosso cérebro sabe disso! Por isso ele manda sinais pelo nosso corpo e eles são inconscientes. São eles: piscar várias vezes, coçar o nariz, orelhas, olhos e mexer muito nos cabelos.

Dica #4 – Várias perguntas

Já reparou nos filmes policiais que a polícia faz a mesma pergunta de várias formas? A inconsistência ou dificuldade em responder aparece muito fácil. Ex.: A professora de geografia deu tarefa? Que aulas você teve hoje? A tia Renata (professora de geografia) estava bem-humorada? É muito fácil pegar uma mentira desse jeito! Rsrsrsrsrs

Dica #5 – Alteração de humor

É incrivelmente estressante manter uma mentira. É um trabalho e tanto criar uma versão e ao mesmo tempo manter disfarçado o medo de ser pego. Isso faz com que a pessoa que está mentindo fique bem irritada.

 

Agora se você acha que criança pequena não mente, veja os vídeos abaixo e se mate de rir com a Maria Júlia e a Helena:

https://www.youtube.com/watch?v=_AaKJV-HATo

https://www.youtube.com/watch?v=iQBh2bZfCIw

Denise Capece para Mulher Tempo